Might of Ra

Lamborghini Aventador LP 780-4 Ultimae

Lamborghini Aventador LP 780-4 Ultimae. Foto: Divulgação/Lamborghini

 

Confirmado: o sucessor do Lamborghini Aventador será um híbrido plug-in com mais de 1.000 cv. A fabricante italiana confirmou que o superesportivo terá um novo motor a combustão 6.5 V12 de aspiração natural na traseira trabalhando com três motores elétricos, dois deles no eixo dianteiro. A transmissão terá câmbio de dupla embreagem com oito marchas.

Por enquanto, a Lamborghini chama o sucessor do Aventador pelo código de LB744 e ainda não teve seu visual revelado. Seu lançamento vai celebrar os 60 anos da fabricante de Sant’Agata Bolognese e a marca promete que ele terá níveis de desempenho únicos mesmo entre o universo dos superesportivos.

 

Como é o sucessor do Lamborghini Aventador?

Segundo a fabricante, a arquitetura do sucessor do Lamborghini Aventador será um superesportivo híbrido plug-in dotado de uma bateria leve de íon-lítio de alta potência, alojada no túnel de transmissão na seção central do chassi. É uma solução projetada para reduzir as emissões em comparação com o V12 anterior, maximizando o desempenho.

Arquitetura do projeto Lamborghini LB744

Arquitetura do projeto Lamborghini LB744. Imagem: Divulgação/Lamborghini

O novo motor V12 de 6,5 litros de aspiração natural é chamado de L545. Ele pesa 218 quilos, ou 17 quilos a menos que o motor de 700 cv do Lamborghini Aventador. Sozinho, o L545 gera potência de 825 cv a 9.250 rpm e torque de 73,9 kgfm a 6.750 rpm. Sua potência específica é de 128 cv por litro, a maior potência na história dos motores de 12 cilindros da marca.

A Lamborghini detalha que os dutos de entrada de ar para os cilindros foram reprojetados para aumentar o volume de ar admitido e garantir um fluxo de ar ideal na câmara de combustão. A taxa de compressão aumentada de 11,8:1 para 12,6:1 e o fluxo dos gases de escape também foi aprimorado para reduzir a contrapressão em altas rotações e aumentar a potência específica.

Arquitetura do projeto Lamborghini LB744. Imagem: Divulgação/Lamborghini

O motor V12 é apoiado por três motores elétricos, um dos quais integrado à nova caixa de dupla embreagem de oito marchas. Este é montado transversalmente e colocado pela primeira vez atrás do motor de combustão. Cada um dos motores elétricos dianteiros gera torque de 35,7 kgfm.

Com os motores elétricos posicionados no eixo dianteiro, o LB744 tem tração nas quatro rodas. O terceiro motor elétrico posicionado na transmissão pode fornecer energia às rodas traseiras, dependendo do modo de direção selecionado e das condições.

Arquitetura do projeto Lamborghini LB744. Imagem: Divulgação/Lamborghini

O superesportivo terá modo de condução puramente elétrico, reduzindo as emissões totais de CO2 em 30% em comparação com o Lamborghini Aventador.

Vale lembrar que o sucessor do Lamborghini Aventador não será o primeiro híbrido da marca. A primeira vez que um motor elétrico foi combinado com um motor de combustão interna de 12 cilindros em um Lamborghini foi em 2019 com o Sián, que usava um motor de 25 kW, armazenando a energia elétrica em um supercapacitor. 

Share This
Might of Ra Mapa do site