Might of Ra

bomba de gasolina em um posto de combustível

Com a nova gasolina em vigor no Brasil, entenda as diferenças entre a comum e a aditivada para escolher a mais indicada para seu carro

 

Se você ainda chega ao posto de combustível e não sabe bem a diferença entre o combustível comum e o aditivado, listamos a seguir as principais características e quais as vantagens de cada um.

Gasolina comum

A gasolina comum vendida no Brasil possui adição de etanol anidro, que é o etanol quase totalmente sem água: as gasolinas comum e aditivada vendidas aqui devem ter 27% de etanol anidro em sua composição, segundo as regras da Agência Nacional do Petróleo (ANP). No caso da gasolina premium, o valor é de 25%.

“O etanol, nesta porcentagem, funciona como um antidetonante da gasolina, ou seja, ele faz com que a gasolina resista melhor à compressão do motor e entre em combustão no momento ideal. Isso ajuda a melhorar o desempenho”, diz Gilberto Pose, especialista em combustíveis da Raízen, licenciada da marca Shell. “Outro motivo muito importante para a adição de etanol anidro na gasolina é o ambiental. Com menos gasolina sendo consumida, temos menos produção de monóxido de carbono.”

Vale lembrar que, atualmente, tanto a gasolina comum quanto a aditivada vendidas no Brasil devem ter índice de octanagem de no mínimo 92 octanas RON. A octanagem indica a capacidade dos combustíveis de resistir a altas temperaturas e pressões na câmara de combustão do motor antes de detonar, ou seja, sem que a faísca da vela seja disparada pelo sistema de ignição. Quanto maior a octanagem, maior a resistência à detonação e melhor o desempenho do veículo.

Gasolina aditivada

Já a gasolina aditivada é a gasolina comum que recebeu aditivos, fazendo com que a performance e o rendimento do veículo sejam melhores. Porém, é importante destacar que a gasolina aditivada não aumenta a potência do motor.

Os aditivos também protegem e lubrificam as partes internas do motor, além de ajudar na limpeza. Isso ocorre porque, com o tempo, vapores de lubrificante que normalmente circulam pelo motor depositam-se nas válvulas de admissão e na ponta dos bicos injetores. Pose lembra que o aditivo consegue dissolver esses resíduos e prevenir a formação de novos depósitos, aumentando o período de resistência a oxidação. “Se o veículo ficar parado por um longo período, como durante o isolamento social, o mais indicado é abastecer com combustível aditivado”, afirma o especialista. “O abastecimento continuo com combustíveis aditivados evita o acúmulo de partículas que prejudicam o desempenho do motor, o que reflete em um veículo com menos problemas a médio e longo prazo.”

Para saber mais sobre o que mudou na gasolina brasileira, clique aqui

Gasolina premium

Com maior octanagem, a gasolina premium é indicada para veículos com motores de alto desempenho, como os esportivos. Nesse caso, a octanagem é de no mínimo 97 RON.

Pose reforça, porém, que não vale a pena abastecer qualquer veículo com gasolina premium. “Mesmo os motores de baixa cilindrada ou flex podem ser abastecidos com combustível de alta octanagem. O diferencial de performance, porém, é mais perceptível em veículos com motores de alto desempenho”, completa.

Etanol comum

Produzido principalmente a partir da cana-de-açúcar, o etanol hidratado possui cerca de 4,5% de água em sua composição e octanagem de 110 RON, ou seja, superior à gasolina. Sua alta octanagem revela que o combustível resiste melhor à compressão do motor, melhorando sua potência: seu poder calorífico é cerca de 30% menor do que a gasolina. O outro lado é que, por gerar pouco calor e queimar rápido, o motor precisa de mais etanol para que a combustão aconteça, por isso seu consumo é maior.

Etanol aditivado

Assim como ocorre com a gasolina, o etanol aditivado é o combustível comum que recebe aditivos para melhorar a performance e desempenho do motor. “A sujeira acumulada nas válvulas de admissão e nos bicos injetores não é exclusivamente culpa do combustível. O lubrificante que circula no motor, seja na forma líquida ou em vapor de óleo, é um dos principais responsáveis por esses resíduos. Por isso, o mais indicado para motoristas de veículos flex que preferem etanol é abastecer com a versão aditivada”, afirma Pose.

Correio Técnico: Nova gasolina será tão boa quanto a europeia?

Share This
Might of Ra Mapa do site