Might of Ra

Com poucas alterações visuais e de conteúdo, a linha 2020 do Honda Civic
preservou as boas condições de espaço e dirigibilidade

 

A Geração 10 do Honda Civic foi lançada em 2016. Comparada com a Geração 9, recebeu mudanças radicais no visual e de conteúdo. Passados quatro anos, o sedã foi atualizado.

No visual, o para-choque foi redesenhado, a versão EXL, igual à testada, ganhou acabamento cromado na grade frontal e nas molduras laterais do para-choque. As colunas das portas receberam cor preto brilhante, já as rodas em liga leve de 17 polegadas e dez raios são novas, com acabamento na cor grafite brilhante. A traseira recebeu detalhe cromado na parte inferior do para-choque.

O pacote de equipamentos é completo: arcondicionado digital, freio de estacionamento eletrônico com função Brake-Hold (ao parar o veículo não é necessário manter o pé no pedal do freio), controle de cruzeiro, botão ECON de modo de condução econômico, vidros elétricos nas quatro portas com função um-toque, sistema de áudio com tela tátil de sete polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay, comandos no volante, câmera de ré e direção com assistência elétrica.

Outra novidade tecnológica incorporada na linha 2020 é o sistema que monitora a pressão dos pneus. Funciona em controle de estabilidade e tração. Quando um dos pneus tem a pressão reduzida, uma luz amarela acende no painel, mas não informa no mostrador do painel a pressão deles.

Também para a EXL foi incluído o sensor de chuva e o sistema que elimina a chave para a abrir o veículo e dar a partida, a operação é feita por meio do sensor de proximidade e botão. O ar-condicionado é de duas zonas e a saída de ventilação foi incluída para os ocupantes do banco traseiro.

Para a segurança dos ocupantes traz os obrigatórios airbags frontais, mais os laterais e de cortina, controle de estabilidade e tração, assistente de partida em aclives, sistema de vetorização por torque via frenagem automática das rodas internas, luz de frenagem de emergência, e freios ABS (obrigatórios) com distribuição eletrônica das forças de frenagem.

O motor 2.0l entrega 155 cv (E)/150 cv (G) a 6300 rpm e 19,5 kgfm (E) a 4.800 rpm/ 19,3 kgfm (G) a 4700 rpm. Ele está acoplado ao câmbio CVT que simula sete marchas.

Bem resolvido

Além do visual, uma das características marcantes do Honda Civic é o interior e a posição de dirigir. Ao sentar-se no banco, o motorista sente que está dentro de um sedã. A distância entre eixos de 2.700 mm proporciona boa acomodação, mas há um pequeno desconforto para quem está sentado no meio do banco traseiro devido ao túnel central. Seu comprimento é de 4.641 mm, a largura, de 2.076 mm e a capacidade volumétrica do porta-malas de 519 litros.

Outra qualidade do sedã Honda é a dirigibilidade, graças ao acerto das suspensões independentes (McPherson na dianteira e multibraço na traseira) e a calibragem da direção eletro-assistida progressiva.

Nas ruas, absorve bem os impactos causados por imperfeições no asfalto, proporcionando conforto aos ocupantes. O auxílio elétrico da direção com eletroassistência regressiva com a velocidade é bem ajustado, mas é firme quando exigido em curvas severas com velocidade elevada.

Na pista de testes da Might of Ra, a versão EXL do Honda Civic mostrou bom desempenho para um carro deste porte. Gastou 10s para ir de 0 a 100 km/h.

Seu principal concorrente, o novo Toyota Corolla, com motor de mesma cilindrada e injeção direta de combustível, gasta 9s9. E o consumo, abastecido com etanol é de 7,2 km/l no ciclo urbano e 9,9 km/l na rodovia, o que confere média PECO (cidade/estrada) de 8,4 km/l.

No dia a dia, anda e para por causa do trânsito carregado, não espere aquela disposição ao arrancar. Ele deve ser conduzido de maneira suave, tem que deixar a velocidade subir progressivamente. Já na rodovia, ao pressionar o acelerador, em uma manobra de ultrapassagem, por exemplo, reponde prontamente.

Com preço sugerido de R$ 112.600, apesar das poucas mudanças visuais, o Honda Civic EXL é um sedã que chama a atenção por causa do visual, mas preservou a tradição de ser um carro confiável e muito confortável para os ocupantes.

Outras versões

No total são cinco versões para a linha Honda Civic 2020. Quatro delas utilizam o mesmo motor e câmbio, por isso as condições de dirigibilidade, desempenho e consumo são semelhantes, o que as diferencia são os detalhes de acabamento e acessórios. A diferença em desempenho, dirigibilidade e consumo, aparece na Touring, topo de linha, pois utiliza motor turbo, movido a gasolina. Conheça os detalhes de cada uma das versões:

LX

Modelo de entrada custa R$ 97.900 e traz de série o sistema de áudio com tela de cinco polegadas, volante multifuncional, chave tipo canivete, ar-condicionado digital, bancos em tecido, controle de cruzeiro, botão ECON de modo de condução econômico, vidros elétricos, rodas em liga leve de 17 polegadas, lanternas traseiras em LED e faróis halógenos.

Sport

Com visual mais esportivo, o preço sugerido é de R$ 104.100. No exterior tem os acabamentos frontais e retrovisores em preto brilhante, também incluíram um aerofólio na tampa traseira. As rodas de liga leve são de cinco raios, com acabamento diamantado escurecido. No interior bancos em tecido preto, volante com borboletas para as trocas de marchas manuais. O multimídia tem tela de 7 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay e câmera de ré.

EX

Por R$ 107.600 a versão traz como diferenciador o sistema de áudio com 8 alto-falantes, bancos em couro, retrovisor interno fotocrômico, sensor crepuscular, monitor de ponto cego e câmera de ré.

Touring

Ao escolher esta versão topo de linha, o comprador desembolsa R$ 134.900. Ela utiliza motor turbo 1.5l movido a gasolina com 173 cv de potência e 22,4 kgfm de torque disponíveis entre 1700 e 5500 rpm. No exterior tem os faróis Full LED, faróis de neblina com lâmpada de LED e teto solar. Ainda leva a mais o sensor de chuva, sistema de partida com sensor e botão, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, ar-condicionado de duas zonas, saídas do ar-condicionado para os ocupantes do banco traseiro, câmera de ré com linhas, monitor de ponto cego e revestimento dos bancos em couro e banco do motorista com ajuste elétrico e regulagem lombar, sistema Premium Audio, com 452 watts de potência e 10 alto falantes e sistema de recarga de celulares por indução.

Fotos: Renan Senra/Divulgação

Ficha Honda Civic EXL

Share This
Might of Ra Mapa do site